fbpx

Tipos de alergia de pele: como prevenir e tratar?

Coceira, vermelhidão, caroços, descamação são alguns dos sintomas comuns nos diversos tipos de alergia na pele que existem.

Essa reação inflamatória decorrente de determinado estímulo pode surgir em qualquer parte do corpo e seus sinais podem ser diferentes em cada pessoa, dificultando a percepção do problema.

Vale lembrar também que estamos falando de um órgão protetor. Assim, quando ocorre algo com a pele, outras partes do corpo podem ser afetadas ou pode ser um sinal do organismo de que a saúde precisa de mais atenção!

Confira abaixo algumas informações essenciais sobre os tipos de alergia na pele mais comuns:

Antes, o que causa a alergia de pele?

 

As possíveis causas para os tipos de alergia na pele são diversas, afinal, estamos sempre em contato com objetos, comidas, pessoas e outros. Assim, tudo pode ser uma potencial causa, depende do organismo da pessoa.

Entre principais motivadores de alergia estão:

  • Ácaros;
  • Fungos;
  • Pelos de animais;
  • Produtos cosméticos;
  • Alimentos;
  • Pólen;
  • Picadas de insetos;
  • Látex;
  • Níquel (metal comum em joias);
  • Medicamentos.
  • Picadas de insetos;
  • Suor;
  • Bijuteria;
  • Intoxicação alimentar;
  • Roupas, cintos ou a alguns tipos de tecido, como lã ou jeans;

Principais sintomas

 

Entre os principais sintomas das alergias de pele mais comuns estão:

  • Coceira;
  • Vermelhidão;
  • Descamação;
  • Irritação;
  • Presença de manchas ou de borbulhas (bolinhas avermelhadas ou brancas).

Nos casos mais graves e menos comuns, a alergia na pele pode ocorrer inchaço nos olhos e boca, dificuldade para respirar e desconforto na garganta, sendo muito importante nestes casos ir rapidamente ao pronto-socorro.

 Tipos de alergia de pele mais comum

 

  1. Urticária

A urticária pode ter duas origens: alérgica ou infecciosa.

A primeira é desencadeada por alguma substância que o paciente ingeriu ou teve contato direto. Já a segunda, surge como consequência de uma infecção. 

Elas costumam apresentar coceiras e não são contagiosas. Pode ser desencadeada por medicamentos, alimentos, picadas de inseto ou contato com substâncias como látex e tintas, por exemplo.

No geral, os sintomas duram até 24 horas, desaparecendo sem deixar marcas ou cicatrizes. Porém, as manchas podem voltar a surgir em outras partes do corpo, mantendo-se por algumas semanas.

  1. Angioedema 

Possui a mesma origem da urticária, porém os sintomas são mais agressivos. 

O angioedema ultrapassa as camadas superiores da pele, podendo causar cólicas abdominais, dores e inchaço nos lábios, olhos, mãos e pés, problemas respiratórios e, em casos mais graves, choque anafilático.

Os fatores desencadeantes são alergias a alimentos, medicamentos, pólen, etc. 

As causas também podem ser de origem genética, doenças autoimunes ou infecciosas, tireoide, câncer e fatores ambientais.

  1. Alergia nervosa

A alergia nervosa pode surgir após situações de estresse ou problemas emocionais. 

Ela é caracterizada por placas vermelhas e ásperas, algumas vezes, com pequenas bolhas e tendo a coceira como principal sintoma.

Os episódios normalmente acontecem em pacientes que já tenham predisposição ou histórico para algum tipo de dermatite.

  1. Dermatite de contato

Bastante comum, a dermatite de contato é uma irritação desencadeada pelo contato com alguma substância específica. 

De modo geral, os sintomas são placas vermelhas na pele, coceira no local, inchaço, surgimento de bolhas, queimação e até ressecamento.

A dermatite de contato pode surgir como resposta do sistema imunológico ou causada pelo contato com substâncias químicas e aparecendo de imediato após a exposição do paciente.

  1. Dermatite Atópica

Qualquer pessoa pode desenvolver esta doença de pele, inclusive bebês, mas o mais comum é acometer quem tem histórico familiar de doenças como asma e rinite alérgica. Seu aparecimento costuma ser mais comum nas dobras dos braços e na parte de trás dos joelhos.

O principal sintoma é uma pele muito seca, com coceira, há também a presença de lesões na pele, que podem ser desde pequenas feridas até grandes placas que sangram. 

Infelizmente, a dermatite atópica não tem cura, mas sim tratamento, que deve ser feito com dermatologista. Para prevenção, o ideal é fortalecer a barreira da pele e usar hidratantes específicos para pele muito seca.

Tratamento

 

O tratamento recomendado para a alergia na pele deve ser indicado pelo médico dermatologista ou alergologista e o tipo de tratamento vai depender da causa

Para prevenção você pode incluir à sua rotina o uso de cosméticos que restauram a pele, como o Cicatribem.

Nosso creme com ação hidratante de alta intensidade promove o tratamento de estrias, foliculite e outros problemas de pele desde a primeira aplicação. 

Não deixe o cuidado com a pele para depois, aposte em Cicatribem!

Clique aqui e compre agora o seu com o cupom #BLOG20.


Compartilhe esse artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Você também poderá gostar